BrasilGuias e hotéis para conhecer cidades do Brasil e do mundo

Staycation: como e por que fazer turismo na sua própria cidade?

By , 27/03/2018

Costumamos dizer que um turista de fora conhece mais a nossa própria cidade do que nós mesmos. É normal, pois quando vivemos o dia a dia do local, muitas vezes nos acostumamos com tudo e caímos na temida rotina. Para relaxar e fugir do óbvio, a primeira ideia que vem à cabeça é simples: viajar. Mas, às vezes, a grana está curta, o trajeto é longo demais para apenas um final de semana ou não conseguimos ficar muito tempo longe do animal de estimação.

Uma solução para este dilema é o modelo de hospedagem conhecido como staycation – stay (ficar) + vacation (férias). Em outras palavras, é fazer turismo na própria cidade onde moramos.

Originário dos Estados Unidos, durante a crise financeira de 2007, o conceito ganhou fama no Reino Unido a partir de 2009 e começa agora a se popularizar no Brasil.

[caption id="attachment_18887" align="alignnone" width="800"]Staycation Piscina Hotel Brasil Foto: Jess Schoff, no Unsplash.[/caption]

“Pessoas do mundo inteiro vêm passar suas férias na cidade, por que os próprios moradores não podem fazer o mesmo?”

É o que questiona a diretora de Relações Públicas do Sheraton Rio, Manoela Barcellos. A gerente de marketing do Grand Hyatt Rio, Mariana Pedrosa, complementa: “O turista local acaba aproveitando para fazer programações diferenciadas nos seus momentos de lazer”. 

Seja com chamados day-use (pacote de uso das amenidades do hotel sem pernoite) ou através de estadias de uma ou mais diárias, a ideia é alcançar experiências únicas em grandes hotéis sem sair de perto de casa.

Como e por que fazer staycation no Brasil?

Existem algumas razões pelas quais acreditamos que o staycation pode ser uma opção de hospedagem conveniente. De antemão, já lembramos: o dinheiro economizado na passagem aérea ou terrestre permite ao turista investir um pouco mais na experiência da hospedagem em si. Abaixo, sugerimos ocasiões para o staycation.

Surpresas românticas

Uma hospedagem romântica em um hotel 5 estrelas promete impressionar qualquer paquera – seja ela um namoro de 1 ano ou um casamento de 10. Jantar no renomado restaurante do hotel, mergulho na piscina de frente para a praia e vida mansa com serviços exclusivos dão um boost em qualquer relação. Inclua também neste tópico aniversários de namoro (ou casamento) e noites de núpcias.

Hotel ideal: Gávea Tropical Boutique Hotel, no Rio de Janeiro.

Grand Hyatt Rio Staycation Brasil Quarto Romântico

Fim de semana em família

Imagine uma família com 4 pessoas – os pais e duas crianças. Viagens longas só em alta temporada – apenas o preço da passagem já desmotivaria. Não é má ideia ficar em um hotel – ou resort – na própria cidade e com atividades especiais para crianças. Cabe no bolso e ninguém chora com saudades de casa ou do cachorrinho.

Hotel ideal: Il Campanário Villagio Resort, em Florianópolis.

Grand Hyatt Rio Staycation Brasil Crianças Praia

Produção pré-casamento

Não falo da festa em si, mas das noivas. Para o grande momento o importante é estar nos trinques. Por isso, uma noite relaxante em um hotel ou apenas um dia inteiro combinando SPA, piscina e comida de ótima qualidade deixam a noiva prontinha para o casamento.

Hotel ideal: L’Hotel PortoBay, em São Paulo.

Grand Hyatt Rio Staycation Brasil Spa Noivas

Fuga da rotina

Às vezes buscamos apenas uma escapada da mesmice do dia a dia. Seja ela no meio ou no fim da semana, é a chance de ficar em um hotel visto como “inalcançável” – por seus padrões e preço – e ser tratado como rei/rainha por um ou mais dias. Experiência para contar para os netos! Dá uma olhada na série O Sabor dos Hotéis e veja como duas blogueiras de São Paulo usaram o staycation para fugir da rotina.

Hotel ideal: Royal Tulip Brasília Alvorada, em Brasília.

[caption id="attachment_18907" align="alignnone" width="800"]Piscina Infinita Staycation Brasil Hotéis Foto: Li Yang, no Unsplash.[/caption]

Staycation no Rio de Janeiro

Tanto o Sheraton Rio quanto o Grand Hyatt Rio, entrevistados desta matéria, não precisam se esforçar muito para atrair turistas cariocas. O primeiro fica de frente para a praia do Leblon, conta com acesso exclusivo para ela e possui um dos melhores restaurantes da cidade, o L’Étoile – com vista de tirar o fôlego.

“No Rio, muitas famílias veem o resort como um clube. E quando faz sol e querem aproveitar um fim de semana no conforto de um hotel e as facilidades de um clube, nos procuram”, afirma Manoela Barcellos.

“Acreditamos que a tendência é este comportamento crescer, pois este é o movimento que estamos observando nos últimos anos”, completa, otimista.

Já o Grand Hyatt é cercado por natureza, no bairro da Barra da Tijuca. De um lado, a praia, e de outro a Lagoa de Marapendi, reserva natural repleta de verde.

[caption id="attachment_18902" align="alignnone" width="800"]Grand Hyatt Rio Staycation Brasil Piscinas Praia Complexo de piscinas do Grand Hyatt Rio.[/caption]

Por que o staycation atrai viajantes no Brasil?

A crise econômica que atingiu o Brasil nos últimos anos pode ser uma das grandes responsáveis pelo aumento na demanda por staycation. Ela, somada aos aumentos constantes dos preços das passagens aéreas e do dólar, levam os viajantes a buscar soluções mais próximas de casa.

Para se ter uma ideia, o Sheraton Rio tem 25% de suas reservas vindas de moradores da cidade do Rio de Janeiro. Já o Grand Hyatt Rio registrou um aumento de 80% na demanda por day-uses em janeiro de 2018 em relação ao mesmo período em 2017.

Outro motivo está relacionado à chegada de renomados hotéis no Brasil, principalmente após a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016. “O aumento no número de hotéis de cadeias internacionais no país despertou no brasileiro a vontade em ser turista em sua própria cidade, para viver experiências extraordinárias que antes só podiam ter em viagens ao exterior ou durante as férias”, afirma Mariana Pedrosa.

Grand Hyatt Rio Staycation Brasil Varanda Vista

E afinal: vale a pena fazer staycation no Brasil?

Tudo depende da intenção do turista. De primeira, já posso dizer que o staycation não substitui, de maneira alguma, aquela viagem dos sonhos a uma ilha paradisíaca, ao verde da montanha ou a cidades históricas européias.

Em viagens longas, o exótico é fator primordial à experiência – tudo é diferente e nunca sabemos quando voltaremos ali. Portanto, corremos para realizar o maior número de atividades possíveis e muitas vezes não conseguimos descansar.

[related-article id="10769"]

staycation tem uma pegada mais cadenciada. Você já conhece a sua cidade e não precisa apressar as coisas – consegue apreciar um ótimo jantar em um restaurante chique, relaxar em uma cama king size e aproveitar serviços com mais calma. Ao mesmo tempo, tem a chance de explorar locais próximos aos hotéis que antes só eram alcançáveis após horas no engarrafamento.

Projetos como o Carioquinha, no Rio, e Visite São Paulo, na capital paulista, surfam na onda do staycation e acreditam que o conceito tem potencial enorme para evoluir ainda mais. Martha Mendes, coordenadora do Carioquinha defende que “o melhor turista, o mais fiel, pode ser o vizinho”.

“A cultura de staycation pode e deve ser estimulada a partir de inciativas como o Carioquinha, que envolvam o empresariado e o poder público. O momento é propício. O melhor turista, o mais fiel, pode ser o vizinho”, afirma Martha.

E ainda completa: “o benefício ofertado pelas empresas (lojas, restaurantes e atrações) é visto praticamente como um direito pelo cidadão local, que não encontra justificativa para pagar valores feitos para turistas pagarem.”

Com ofertas mais em conta e empresas apoiando o staycation, não é má ideia relaxar e aproveitar cada segundo em um super hotel na própria cidade. E para quem gosta, dá até para tirar onda com a galera – afinal, não é todo dia que um belo-horizontino fica no Ouro Minas Palace Hotel; um paulista descansa no Unique; ou um carioca mergulha na piscina do Copacabana Palace.