São Paulo

Como não arruinar sua viagem a São Paulo, nas dicas de blogueiros locais

Blogueiros paulistanos nos revelam os segredos de 4 bairros de SP: República, Pinheiros, Liberdade e V. Madalena - e nós sugerimos hotéis para evitar frias

Se você pesquisar por onde ficar em São Paulo na internet, certamente notará que a quantidade de informações encontradas é enorme. Porém, se reparar bem, verá que a maioria das dicas é muito parecida – os melhores bairros, restaurantes turísticos, atrações famosas e tudo o que você não pode perder no destino.

O difícil é encontrar aqueles conselhos de amigo sobre o que não fazer na selva de pedras paulista – “não vá para tal lugar porque é perigoso”, “evite o restaurante X porque a comida é fraca” e por aí vai. Afinal, como toda grande metrópole, São Paulo não vive um conto de fadas.

Neste artigo da nossa série Como Não Arruinar sua Viagem, você encontrará sugestões sinceras de blogueiros paulistas moradores de 4 bairros da capital sobre o que fazer e evitar nas regiões – República, Pinheiros, Liberdade e Vila Madalena (na foto acima, no clique de Daniel Martins). Para cada local citado, a trivago Magazine recomenda um hotel para que você possa curtir da melhor maneira as recomendações, sem entrar numa fria e arruinar a sua viagem.

Como não arruinar a sua estadia na República

“Fuja do Viaduto do Chá”

Viaduto do Chá: vista bacana, local perigoso. Foto: Guia da Semana.

Quem dá as dicas:

Niki Verdot é metade brasileira, metade francesa. Morou por 12 anos na região da República e, caso ainda continuasse na capital paulista, não trocaria o bairro por nada. Ela escreve para o site 1001 Dicas de Viagem, onde fala sobre sua incansável sede por turismo, mas também escreve sobre saúde no blog Vida Saudável.

“Não recomendo passear pelo Viaduto do Chá, pois apesar da bela vista da cidade este pedaço, além de ser perigoso para turistas, está muito mal cuidado. Além disso, apesar de o famoso Edifício Itália ser ótimo e ter uma das maiores vistas de São Paulo, a região da República oferece diversas outras opções com refeições muito mais saborosas e, claro, preços muito mais em conta.”

Como aproveitar a região?

“Para quem procura se hospedar em um local bem estruturado para desbravar São Paulo, a República é uma ótima escolha. Localizada no centro da cidade, ela é muito conhecida por sua vasta opção de transportes, comércios, edifícios históricos com belíssima arquitetura, museus, e também por contar com estabelecimentos direcionados ao público LGBT. Tudo isso sem esquecer, é claro, das excelentes opções gastronômicas.

É a região de SP onde me sinto mais “confortável”, pois por ser tão eclética, acolhe bem todas as trupes. Recomendo a minha região para todos que têm interesse em desfrutar da cidade sem carro, conhecer pontos turísticos tradicionais, e apreciar a gastronomia local com preços muito mais acessíveis.”

“O Favorito do Cauby” é a pedida do Bar Brahma.

Minhas atrações favoritas na República

Parque Minhocão

Nos finais de semana é o meu programa preferido – área aberta apenas para pedestres, ciclistas, skatistas, e pets, onde você pode tomar uma água de coco, apreciar os grafites e jardins verticais da região, e até assistir a peças de teatro gratuitas.”

Casa do Porco

“Apesar da longa fila em horários de pico, todo mundo deveria ir ao menos uma vez na vida na Casa do Porco para provar o Torresmo de Pancetta com Goiabada Picante , uma combinação um tanto quanto inusitada, mas que surpreende. Outra dica é o Porco a San Zé”, que acompanha tutu de feijão, tartar de banana e couve”.

Bar Brahma

“No Bar Brahma, além do chopp, é claro, recomendo também o Favorito do Cauby(foto acima)picadinho de filé mignon com arroz, farofa, ovo frito e um pastelzinho de banana maravilhoso.”

Descubra hotéis baratos em SP:

São Paulo

Hotéis baratos em São Paulo e passeios gratuitos na cidade

Dica trivago Magazine de onde ficar na República

1/2

Ao entrar no saguão do Novotel Jaraguá Conventions, siga até o bar e você verá uma série de fotos de celebridades que se hospedaram por ali entre os anos 50 e 70 – escrevemos sobre isso aqui. Hoje reformado, o hotel tem uma aura business, mas preço em conta para qualquer tipo de viajante – cerca de R$ 200 a diária.

Com escadas rolantes, opções de gastronomia e sala de ginástica, o Novotel Jaraguá Conventions tem na modernidade o seu forte. Para os amantes de arte, um belo painel de Di Cavalcanti embeleza a fachada. Sobre os quartos? Amplos, com paredes antirruídos e enormes camas, como de praxe em um ótimo hotel de rede no Brasil.

Em uma caminhada rápida chega-se aos locais recomendados pela Niki – com exceção do Parque Minhocão, com acesso mais fácil de carro (5 min).

Novotel São Paulo Jaraguá Conventions

São Paulo, 1.2 km to 25 de Março
8.3 Muito bom (3301 reviews)
Excelente Serviço 8.5 / 10
Estacionamento
Animais permitidos
Spa
Academia
Hotel CTA

Como não arruinar sua estadia em Pinheiros

“Jardim Europa: sempre com um guia”

Não se perca para chegar no Museu da Casa Brasileira, no Jardim Europa.

Quem dá as dicas:

Mari Christine mora há 15 anos no bairro de Pinheiros e gosta de ter tudo o que precisa em um só lugar. Formada em turismo, já viajou os 5 continentes e mais de 25 países. Fundou o site Mari Pelo Mundo, que fala de viagens do ponto de vista de diversos colaboradores – inclusive, outras Maris.

“O transito na Brigadeiro Av. Faria Lima e Av. Rebouças é intenso e o Uber não é uma boa ideia. As avenidas possuem corredores e o Uber não pode circular neles. É o barato que sai caro. Por isso, sugiro que use o ônibus ou taxi nos horários de rush nessa área.

Além disso, circular pelo Jardim Europa sem um guia ou aplicativo também pode ser extremamente complicado. As ruas não são paralelas e é muito fácil ficar rodando sem rumo por ali.

Finalmente, os Shoppings JK e Iguatemi são focados no público de alta renda e não são ideais para comprinhas baratas ou refeições rápidas e em conta.”

Como aproveitar a região?

“Pinheiros tem um pouco de tudo e, apesar de eu circular por toda a cidade, é em Pinheiros que eu tenho todos meus cantinhos favoritos. A região tem todas as lojas que eu preciso, os restaurantes que eu gosto, é verde e ainda é possível se locomover sem ficar presa em um transito caótico diário.

O bom de lá é que atende todo o tipo de viajante. A Praça do Por do Sol fica repleta de jovens, já o parque Villa Lobos recebe muitas famílias com crianças para passeios de bicicleta. Por outro lado, por ser um dos distritos mais antigos de São Paulo, em Pinheiros os idosos são maioria e circulam tranquilamente pelas praças e ruas.

De um lado, há a famosa feira de antiguidade na Benedito Calixto – para viajantes que curtem feiras de rua e produtos vintage. De outro, há as lojas da Oscar Freire e os shoppings com as marcas famosas.”

Um dos diversos murais do Beco do Batman. Foto: Arte Fora do Museu, no Flickr.

Minhas atrações favoritas em Pinheiros

Av. Pedroso de Morais

“Vou muito lá e até escrevi sobre essa rua. Em poucos passos, estão o Instituto Tomie Ohtake, com ótimas exposições o ano todo, além de vários sebos reunidos em um quarteirão Ainda, muito próximo dessa rua estão o Museu da Casa Brasileira e, para os amantes da Street Art, como eu, o Beco do Batman (foto) – este último, parada obrigatória.”

Cantinas italianas

“Algumas delas são muito tradicionais e avôs, filhos e netos frequentam ano após ano, como a Cantina Nello´s  – e o nhoque Rina, que leva o nome da dona da casa – e a Cantina Gigio, com seus pratos super bem servidos – torrada de alho e panzanella deliciosas.”

Vinheria Percussi

“Um pouco mais sofisticada do que as cantinas, esta é a Vinheria Percussi. Eu adoro o Spaghetti al Cartoccio e também recomendo o Bauletti di Bacalá – porque faço parte dos colecionadores de pratos da boa lembrança.”

Descubra também:

São Paulo

7 hotéis com piscinas incríveis em São Paulo

Dica trivago Magazine de onde ficar em Pinheiros

1/2

Inaugurado em 2015, o Guest Urban Fruttare é um hotel boutique que conecta o viajante com o modo de vida contemporâneo do paulistano. Localizado em um sobrado dos anos 60, o local tem decoração vintage e exposições de arte – um clima hipster e conforto acima da média.

Os quartos contam com janelas grandes e são bem arejados – todos com camas grandes e banheiros privados. Caso queira dormir ainda melhor, o hotel oferece protetor de ouvido e tapa-olho, mimos indispensáveis para o sono perfeito.

Bicicletário, café da manhã de primeira e atendimento personalizado – e 24h – completam o pacote do hotel, com diárias na faixa dos R$ 200.

Guest Urban Fruttare

São Paulo, 5.1 km to 25 de Março
8.2 Muito bom (226 reviews)
Excelente Limpeza 8.9 / 10
Acesso Wi-Fi nos quartos
Animais permitidos
Bar no hotel
Ar-condicionado
Hotel CTA

Como não arruinar sua estadia na Liberdade

“Restaurante japonês, só os movimentados”

A qualidade do restaurante pode estar no número de pessoas dentro dele.

Quem dá as dicas:

Tábita Takayama mora há mais de 20 anos na Liberdade e é tão fã do local que escreve para o maior site sobre o bairro do mundo, o Vempraliba – de lojas a eventos, tudo você encontra ali. De origem japonesa, é grande defensora da cultura e culinária oriental que, em sua visão, vão muito além do sushi e do sashimi.

“Infelizmente, o bairro da Liberdade já foi parar várias vezes no noticiário por causa de problemas detectados pela Vigilância Sanitária em alguns restaurantes. Uma dica muito boa é nunca entrar em restaurante vazio e domingo é um dia ótimo para fazer essa avaliação. Se o restaurante não estiver, pelo menos, cheio pela metade, é bom deixar passar. Aqui, a voz do povo é a voz de Deus.”

Como aproveitar a região?

“Eu moro na Liberdade desde criança. Cresci vendo este bairro mudar e também não mudar, principalmente em sua forma oriental de ser. Isso nunca mudou e espero que nunca mude.

É o bairro mais oriental do Brasil e recomendo para, simplesmente, todo mundo. Agora, tem que abrir a cabeça para entender que comida oriental não é só sushi e sashimi. Tem muita comida maravilhosa como, por exemplo, o PF (prato feito) japonês, que se chama Teishoku.”

O ano novo chinês é um dos eventos mais coloridos da Liberdade.

Minhas atrações favoritas na Liberdade

Eventos e festivais orientais

“É sempre bom ficar de olho na agenda do bairro. Do Ano Novo Chinês (foto), que ocorre entre fevereiro e março, até o Festival Oriental (Toyo Matsuri) que ocorre desde a década de 70 no mês de dezembro, tem muito evento cultural incrível por aqui.”

PF japonês

“Um dos melhores Teishoku (prato feito japonês) da região é servido no Restaurante Kidoairaku, que fica na R. São Joaquim, esquina com a R. Galvão Bueno. Não se deixem levar pela aparência simples, entre e tenha uma ótima experiência.”

Rodízios de sushi

“Para aqueles que curtem uma vibe de comer até morrer indico dois rodízios maravilhosos que são o Tanka – dentro do Hotel Akasaka – e o Takô, que fica na R. da Glória. Ambos têm preços saudáveis e uma comida maravilhosa que, com certeza, você não vai sair arrependido e com o coração contente.”

Mais em Sampa:

São Paulo

Rooftops em SP para combinar hospedagem e bons drinks

Dica trivago Magazine de onde ficar na Liberdade

1/2

Às vezes, alugar um apartamento sai mais em conta do que reservar um quarto de hotel. É o caso do bom Residencial Bella Vista Suites, na Liberdade. Por menos de R$ 200, você consegue um espaço privado de 40m² e para casal. Cama, sala de estar com sofá e TV, além de cozinha e mesa de jantar formam o ambiente de lar doce lar.

Além disso, o Residencial Bella Vista Suites fica a, no máximo, 10 minutos de caminhada dos principais atrativos da Liberdade recomendados pela Tábita. Quer mais? O café da manhã está incluído nas diárias, a recepção funciona 24h e ainda tem uma piscina para se refrescar nos dias de sol.

Residencial Bella Vista Suites

São Paulo, 1.7 km to 25 de Março
8.0 Muito bom (1696 reviews)
Excelente Serviço 8.8 / 10
Acesso Wi-Fi nos quartos
Estacionamento
Animais permitidos
Academia
Hotel CTA

Como não arruinar sua estadia na Vila Madalena

“Rua Aspicuelta, só nos dias certos”

A badalada Rua Aspicuelta. Foto: Gilvan Oraggio Cocchiaro (CC BY 2.0).

Quem dá as dicas:

Gaia Passareli viveu 7 anos de sua infância na Vila Madalena e guarda diversas memórias nostálgicas de um tempo onde o local ainda era pouco badalado. Quando adulta, ainda voltou e morou no bairro por quatro anos. Escritora e jornalista, é autora do livro “Mas Você Vai Sozinha?” e do blog How to Travel Light.

“Eu evitaria qualquer coisa na região da Aspicuelta entre quinta e sábado. É o tipo de ambiente que eu acho detestável, com bares com televisões ligadas, servindo cerveja e comida ruim e cara – para mim, isso escancara o que há de pior na região: barulho, desrespeito com os moradores e a descaracterização total da área.

Dito isso, evito levar amigos de fora nos bares mais famosos da região, porque eles são exatamente iguais aos bares de qualquer lugar.”

Como aproveitar a região da Vila Madalena?

“É o bairro onde passei parte da infância e onde aprendi a andar sozinha na cidade. É uma área cheia de memórias, mesmo depois de mudar tanto e tão rapidamente – atualmente, é o point boêmio de São Paulo e bastante procurado por gringos, em especial.

Adoro os grafites espontâneos – muito mais do que o Beco do Batman, entre a Vila Madalena e Pinheiros, já citado anteriormente – e os cafés. Eu tomo muito café e alguns dos meus preferidos estão na Vila.”

Na Mercearia São Pedro, o cliente encontra livros nacionais à venda perto dos banheiros.

Minhas atrações favoritas na Vila Madalena

Cafés especiais

“No Coffee Lab, peça a sugestão de café para o barista, já que eles adoram falar sobre o assunto. Ah, peça também o biscoito de polvilho! Já o Santo Grão fica dentro da Livraria da Vila, que eu amo, e é um lugar gostoso para passar umas horas. Tem também o Isso é Café, no Beco do Batman, com foco em cafés e torras nacionais, boa seleção de comidinhas e sucos que mudam todos os dias.”

"Feijoadaria"

“Gosto muito da Feijoada da Lana, na R. Aspicuelta, que serve feijoada (e só feijoada) todos os dias! Gosto porque a Lana prepara o prato da maneira tradicional: com rabo, pé e afins, como feijoada tem que ser. Mas também tem a versão light para aqueles mais seletivos com comida.”

Livros à venda no bar

“É um clichê, mas a Mercearia São Pedro (da foto), na R. Rodésia, serve o simplão no esquema mais tradicional de boteco paulistano – almoço em esquema self service de dia e porções com cerveja gelada de noite. Apesar de nada especial, o que importa é o ambiente, que mistura gente da área com muitos escritores. Ah, e não é uma livraria, mas dá para comprar livros de autores nacionais – eles ficam no fundo do bar, antes da escada que leva aos banheiros.”

Dica trivago Magazine de onde ficar na Vila Madalena

Para aproveitar todas as dicas da Gaía, a trivago Magazine recomenda o charmoso Living Vila Madalena – a pouquíssimos metros das atrações recomendadas. São estúdios e apartamentos com mais do que você encontra em sua própria casa: das janelas à prova de som – para evitar a barulheira dos bares -, até varanda exclusiva, sala de estar e mesa de jantar.

Se já bateu perna pelo bairro e prefere relaxar em um dia de sol, vale um mergulho na piscina do hotel ou mesmo sentar nas cadeirinhas do jardim e ver a hora passar, sem pressa. Definitivamente, o Living Vila Madalena é um oásis de paz em um dos bairros mais badalados de São Paulo.

Agora a melhor parte: tudo isso por menos de R$ 200 a diária.

Para uma leitura divertida:

São Paulo

Você se hospedaria em uma cápsula de 3m² em São Paulo?

Living Vila Madalena

São Paulo, 6.2 km to 25 de Março
8.0 Muito bom (95 reviews)
Excelente Localização 8.7 / 10
Estacionamento
Animais permitidos
Academia
Ar-condicionado
Hotel CTA