Europa

Hotel Que Vale a Viagem: uma fábrica de chocolates em Portugal

Conheça um incrível hotel para chocólatras no norte de Portugal e encante-se com a sua história

Charles tem duas grandes paixões na vida. Uma é sua cachorrinha pug, a Glória, e a outra é chocolate. Acima de tudo, chocolate. Não que Glória esteja em segundo plano, ela tem até uma cadeira especial na sala, mas o chocolate acompanha Charles aonde quer que ele vá. No escritório, no criado-mudo, no porta-luvas, em todos os lugares que você procure, vai encontrar um chocolate.

Charles sabe que todo esse amor pode ser compulsão. Mas, pra ser bem sincero, ele não está ligando muito pra isso e até planeja uma viagem para viver todo esse sentimento. Onde? Ele acabou de encontrar o bilhete de ouro, a entrada para um mundo dos sonhos de um chocólatra assumido.

Bateu a curiosidade? Descubra esta história abaixo:

Conheça o hotel Fábrica do Chocolate

1/4

O que Charles chamou de bilhete dourado foi o achado feito durante o planejamento das férias: o Hotel Fábrica do Chocolate, em Viana do Castelo, no norte de Portugal. Um hotel, que também é restaurante e museu, totalmente dedicado ao maravilhoso doce feito de cacau. O que primeiro chamou atenção foi a história do lugar. Em 1914, uma das mais tradicionais fábricas de chocolate do país foi fundada na cidade. Alguns anos depois, em 1922, a fábrica ganhou novo endereço, na Rua do Gontim, onde hoje está localizado o hotel.

A rua ficou marcada pelo aroma de chocolate e, após o fechamento da fábrica em 2004, aquele edifício não poderia deixar Viana do Castelo sem uma boa lembrança… surgiu, então, o hotel Fábrica do Chocolate.

Tá, mas onde fica Viana do Castelo?

O destino, um dos mais românticos de Portugal, fica a 75km de Porto e a 385km de Lisboa.

Onde dormir no hotel?

O quarto Chocolate Negro.

Quando ainda estava planejando a viagem, Charles passou por um momento de indecisão muito difícil: escolher entre os 18 quartos temáticos (5 deles são suítes duplex) do hotel. A tarefa era extremamente complicada, não só porque ele é um indeciso por natureza, mas porque cada quarto era exclusivo e tinha algo muito especial.

Para começar, havia os quartos dedicados às variações básicas do doce: quartos do chocolate preto, branco e ao leite. A decoração tem chocolate escorrendo pela parede, mesa de cabeceira em formato de barra mordida e luminárias que derretem.

 

Charles era um fã incondicional do chocolate “básico”, especialmente do amargo. Mas não ia parar na primeira opção e seguiu com a lista. Veja abaixo.

Outras opções de quartos:

Para crianças: suíte estilo "João e Maria"

Aí, vinha a Suíte Hansel & Gretel, que tem como tema a história de João e Maria. Para crianças, uma atração à parte com direito à casa feita de doces onde podem brincar.

Para casais: suíte romântica com chocoterapia

Tinha também as suítes mais românticas, com cama dossel e um serviço de quarto diferenciado, que pode incluir fonte de chocolate com frutas frescas, champanhe e até massagem de chocoterapia para dois.

Para viajantes solo: quarto literário

Opa, um quarto literário entrava na lista! Decorado com móveis em formato de livros, trechos de histórias no idioma original na parede e exemplares de obras inspiradas no chocolate, em diversas línguas, nas prateleiras, para serem “devorados” com uma xícara de chocolate quente.

Para cinéfilos: quarto Willy Wonka

E tinha o quarto Willy Wonka, inspirado no filme “A Fantástica Fábrica de Chocolate”. Em uma das paredes, uma colorida ilustração representava o rio e a cascata de chocolate. A cabeceira da cama era um enorme “bilhete dourado” e as mesas de cabeceira tinham formato da cartola de Wonka. Charles lembrou da infância e de quantas vezes tinha assistido ao filme. Ele queria ser Charlie e encontrar um bilhete de ouro que o levasse a uma Fábrica de Chocolate. Este era o bilhete dele. Charles tinha um vencedor.

Um pouco da decoração do hotel - yummy, chocolate branco!

Alguns quartos foram decorados em parcerias com marcas de chocolate portuguesas e internacionais. As luminárias eram incríveis e pareciam comestíveis, Charles tinha medo de não resistir e destruir a decoração sem querer. Ah, detalhe para as amenities oferecida pelo hotel:

  • Sabonete em formato de quadrado de chocolate.
  • Gel de banho, xampu e creme hidratante, tudo com aroma de chocolate.

O café da manhã

Dá uma olhada neste bolo delicioso.

Sabe aquelas pessoas que não começam o dia sem uma xícara de café ou não conseguem pensar se não tiverem mastigado nada? Charles também é um desses, mas o estímulo matinal dele tem a ver, claro, com chocolate. Ele precisa sentir o sabor de chocolate de manhã cedo. No mínimo, um copo de leite com chocolate. No Fábrica do Chocolate, ele teria a chance de elevar a rotina do café da manhã a outro nível, com pão de grué (com sementes de cacau), doces caseiros, suco de cacau e fontes de chocolates com frutas.

O museu do chocolate

Um teaser de como o museu é por dentro.
Descubra o cacau na sala Origens do museu.

16 horas de Belo Horizonte ao destino final, contando o tempo de espera no aeroporto de Guarulhos e o translado entre o aeroporto do Porto e Viana do Castelo. É chegado o momento de trocar o bilhete dourado pela estadia no Fábrica de Chocolate.

Charles decidiu que ainda tinha energia (talvez da barra de chocolate amargo que tinha consumido há poucas horas) e preferiu começar pelo início: conhecendo o Museu Interativo da Fábrica do Chocolate. A visita é gratuita para hóspedes do hotel.

Naquele momento, ele sentiu falta de Glória, que embora fosse bem-vinda no hotel, não aguentaria uma viagem longa. Ela acabou ficando na casa dos pais de Charles.

 

Templo Asteca na sala Xocolatl.
Um tour pelo museu:

Sala Origens: descobrindo o cacau

Quando deixou as lembranças de Glória, Charles reparou que estava em uma sala chamada Origens, a primeira do museu. Ali, viu de tudo sobre a produção de cacau no mundo e ficou enfurecido com as más condições em que trabalhadores vivem nas plantações em alguns lugares. Inevitavelmente, soltou uns palavrões em voz alta. Ficou envergonhado, mas não achava justo que o chocolate fosse feito com algo que era produzido assim. Também repetiu isso em bom som, para que as outras pessoas não ficassem assustadas com os xingamentos anteriores.

Sala Xocolatl: a expansão pelo mundo

Distraído com a réplica de uma plantação e com o cheiro do cacau, ele foi levado à sala seguinte, Xocolatl. Uma projeção em 3D mostrava a história do cacau: da utilização pelas civilizações Olmeca, Asteca e Maia até chegar à Europa. Dali, a próxima sala era a Mundi, onde Charles descobriu de onde vinham e quando surgiram suas marcas favoritas de chocolate.

Sala Culto: a adoração ao chocolate

Mais adiante, a sala Culto estava no caminho. E de culto ao chocolate, ele entendia muito bem. Charles participava de um grupo de escrita e costumava dizer que o chocolate era sua musa inspiradora. Ele compreendia perfeitamente como o doce fazia aflorar a criatividade de autores, cineastas e músicos.

Sala A Fábrica: provando a delícia

É, então, momento para um grand finale: a sala A Fábrica. Até porque, Willy Wonka só revela o principal segredo de sua fábrica no final. Naquela sala, ele poderia fazer seu próprio chocolate! Isso se tivesse se comportado durante toda a visita e não tivesse sido retirado do ambiente por algum Oompa Loompa por ter ameaçado a produção da fábrica.

A loja: para levar uma recordação

Para levar uma lembrancinha do hotel para casa!

O fim da estadia se aproximava e, além do chocolate de despedida presenteado pelo hotel, Charles queria levar mais lembranças para casa. Na loja do hotel, tinha chocolates de diversas marcas do mundo todo e souvenires pensados para agradar aos chocólatras: blusas, canecas, capas de tablet e de celular e livros. Ele saiu de lá com duas camisas: uma para ele e uma versão no menor tamanho disponível, que ele vai adaptar para Glória.

Fábrica do Chocolate

Top rated
Viana do Castelo, 1.2 km to Basílica de Santa Luzia
9.0 Excelente (592 reviews)
Excelente Limpeza 9.2 / 10
Hotel CTA

Descubra Viana do Castelo

1/3

A cidade histórica de Viana do Castelo, localizada na costa portuguesa, fica a cerca de 50 km do aeroporto internacional do Porto. O centro histórico conservado, o Santuário de Santa Luzia, as praças, os monumentos e a riqueza da gastronomia local são os principais atrativos.

Como chegar em Viana do Castelo?

A cidade fica a aproximadamente 50 km do aeroporto internacional do Porto (OPO) – não existe opção de voo direto do Brasil.

Hotels in Viana do Castelo

419 Hotels
from 149
Destination CTA