São Paulo

Puro aconchego: 7 chalés com vista para a montanha em São Paulo

Separamos opções de hospedagem que unem clima rústico, conforto e contato com a natureza do interior do estado

Um friozinho, uma lareira…quem acredita que uma viagem para a serra é sinônimo de aproveitar uma acomodação charmosa em forma de chalé, saiba que é possível curtir esse clima de aconchego sem se afastar muito da capital paulista. Em meados de 1875,  os chalés se popularizaram no interior do estado de São Paulo não só pela sua facilidade de construção, mas como também um movimento de resistência para resgatar, pela arquitetura, uma vida campestre bucólica e idealizada.

Este ideal, na contramão da busca pela modernidade característica do século XX, foi fortemente desestimulados por prefeitos e empresários, que visavam edificações mais modernas. Atualmente, não existe nenhum chalé na capital, mas ainda é possível encontrar no interior algumas hospedagens nesse estilo — principalmente releituras – e com vistas belíssimas para as montanhas. Listamos algumas delas para você se inspirar. Veja só:

1. Campos do Jordão: curta chalés com hidro e vista privilegiada

Sabemos que é um clichê, mas não dá para começar um artigo sobre hospedagens nas montanhas de São Paulo sem citar a cidade mais alta do país: Campos de Jordão. Segundo o IBGE, a cidade está a 1.628 metros do nível do mar e conta com 289,5 km² de área verde, incluindo a belíssima e turística Serra da Mantiqueira.

A serra, aliás, é a vista dos chalés do Hotel Pousada da Boa Vista, que chamam atenção pela arquitetura e decoração, numa agradável fusão do clássico com o rústico. Todas as dez acomodações seguem este mesmo conceito, mas algumas (mais luxuosas) também dispõem de mimos privativos, como hidro sauna, cozinha equipada, sala de estar e lareira.

É possível se hospedar tanto em grupos menores como maiores, mas, se você estiver a dois, a dica é aproveitar os luaus românticos que ocorrem no espaço comum ou jantar no restaurante Pontremoli, que serve aos hóspedes pratos especiais da culinária italiana – tudo à luz de velas. Para se apaixonar com certeza — pela companhia e pelo hotel.

Pousada Alto da Boa Vista

Melhor avaliado
Campos do Jordão
9.1 Excelente (301 avaliações)

2. Santo Antônio do Pinhal: relaxe num chalé pet-friendly e com preços acessíveis

Também localizada na região da Serra da Mantiqueira, Santo Antônio do Pinhal é uma cidade com pouco mais de 6 mil habitantes. Ou seja, é a pedida ideal para quem quer aproveitar uma bela paisagem, mas sem aglomeração e os preços altos, que parecem acompanhar a latitude elevada de Campos de Jordão.

Os Chalés do Alcantilado são ideais para quem quer aproveitar ao máximo as araucárias, árvores que estão, inclusive, entrando em extinção. É possível admirar, de praticamente todos os cômodos, a Serra da Mantiqueira, mas é no deque, da área comum do hotel, que a magia acontece.

Lá, você pode começar o dia saboreando um delicioso café da manhã e terminar a tarde admirando o pôr-do-sol, enquanto joga conversa fora. Também é um bom ponto para beber um vinho e socializar com outros hóspedes – quem sabe até em uma rodinha de violão. Os pets também vão adorar a área – eles são bem-vindos na hospedagem.

Chalés Do Alcantilado

Santo António do Pinhal
8.9 Excelente (171 avaliações)

3. São Roque: admire a paisagem degustando um bom vinho

São Roque foi fundada em 1657, mas foi a chegada dos imigrantes que fertilizou suas terras, fazendo com que a vitivinicultura se tornasse umas das principais atividades econômicas da cidade. Um destino perfeito para quem quer admirar a paisagem degustando um bom vinho ou algum quitute da região.

Para acompanhar o clima rústico, a sugestão é ficar nos Chalés Marinelli. Parede de tijolinhos, lareira, cozinha equipada: tudo tem um ar bucólico. Agora, para uma verdadeira imersão, peça para ficar no “chalé retrô”, que tem um pé no passado, com poltronas floridas e penteadeira, e outro no conforto, com TV e fogão de indução.

Ah, isso sem falar na varandinha, ideal para aproveitar o nascer ou pôr-do-sol na intimidade do seu quarto. As vistas também dão para a área comum, que ganha iluminação colorida durante a noite, cobrindo o hotel com ares modernos e descolados.

Pousada Chales Marinelli em São Roque

São Roque

4. São Bento do Sapucaí: encontre chalés rústicos e atendimento acolhedor

São Bento do Sapucaí é um município de pouco mais de dez mil habitantes e abriga o cartão-postal da Serra da Mantiqueira: a Pedra do Baú. A estrutura rochosa tem 1.964 metros de altura e é excelente tanto para quem quer se arriscar nas escaladas esportistas, quanto para quem prefere observar o contorno da montanha de longe.

Para os amantes de lindas vistas, a sugestão é se hospedar nos chalés da Oficina da Paisagem, estalagens de madeira e luz natural, que são puro charme rústico. Aliás, de lá é possível admirar não só os encantos da Serra da Mantiqueira, como também do jardim da hospedagem, que é uma graça.

E não deixe de pedir o chá de erva cidreira, que é colhido da horta da propriedade, para aproveitar a vista aquecendo o corpo. E não se espante em receber mimos como bolinhos e bilhetinhos de boas-vindas: os administradores do local, o casal Dulce e Beto, fazem de tudo para que você se sinta super à vontade.

Oficina Da Passagem

São Bento do Sapucaí

5. Cachoeira Paulista: fique em chalés alpinos que lembram uma vila de bonecas

A cidade de Cachoeira Paulista é bastante conhecida pelo seu turismo religioso, mas saiba que ela vai muito além disso. Prova disso é o Pontilhão de Ferro sobre o rio Paraíba do Sul, que rememora Londres, e o Mirante Padre Léo, onde é possível ver a Serra da Mantiqueira, parte do Vale do Paraíba e a cidade.

Tanto para quem quiser aproveitar o turismo religioso, como para quem pretende conhecer a história do local, a dica é ficar na Pousada Cereja. E prepare a câmera: os 18 chalés em estilo alpino fazem com que a hospedagem relembre uma vila de bonecas, já que o teto de cada chalé tem uma cor diferente, dando ao local ares lúdicos.

Claro que as montanhas estão presentes ao redor dos chalés. Para dar um charme extra, o Santuário Diocesano de Santa Cabeça compõe a paisagem. E não é só de vista que a estadia se torna especial, viu? Iguarias como pães de queijo, ovos mexidos, bolos e tortas servidos no café da manhã são feitos de forma artesanal no fogão à lenha.

Pousada Cereja

Cachoeira Paulista

6. Cunha: deguste vinhos logo ao chegar nos chalés

Cunha é bastante conhecida por suas belas paisagens (alô, lavandário!), mas alguns cunhenses querem resgatar a vinicultura na região. Sim, o município já foi bastante conhecido pela sua produção de vinho — inclusive ganhou medalha de prata na exposição sul-americana, em 1887, por conta de sua produção com uvas Isabela e Moscatel.

Para os apaixonados pela bebida, a Pousada Vinícola Vale do Vinho é uma excelente opção. O local conta com dois tipos de hospedagem: apartamento ou chalé, mas independente da escolha, o hóspede é convidado para uma degustação de vinho no momento que faz o check-in no local. Sim, assim mesmo, sem cerimônia.

Dos quartos, é possível observar as colinas, que deixam a experiência na vinícola muito mais charmosa. Quem optar pelos chalés, além da vista, também pode aproveitar a lareira no fim do dia. O Wi-Fi por lá é potente – assim, você pode postar um belíssimo pôr-do-sol nas redes sociais e ganhar muitos likes!

Pousada Vinícola Vale do Vinho

Cunha
7.6 Bom (463 avaliações)

7. Mairiporã: hospede-se num chalé digno de cinema!

Uma dica para aproveitar a maior floresta urbana do mundo, a Serra da Cantareira, é se hospedar em Mairiporã. Localizada a pouco menos de 40km da capital, a cidade está a 800 metros do nível do mar, o que já possibilita uma vista agradável tanto para a serra, como para a capital.

Se você assistiu ao filme Turma da Mônica – Laços vai se lembrar daqui: a Casa do Homem do Saco. Mesmo rodeada por árvores, é possível ver a Serra da Cantareira do quarto andar da casa. Sim, este é um super chalé: no local é possível acomodar até vinte pessoas nos quatro quartos. Dá para chamar sua família e toda a turma do bairro!

A arquitetura vai na contra-mão dos chalés suíços, em formato alpino. É um bloco mais retangular, bastante verticalizado. Então, porque esta casa está numa lista de chalés e montanhas? Pela bela vista, pela estrutura de madeira e pelo telhado com pouco caimento, além de luzes naturais. E porque lá é realmente muito legal!

Casa Homem Do Saco Filme Turma Da Monica Lacos

Mairiporã
8.5 Excelente (16 avaliações)

A autora

Juliana Faddul é turista nas horas vagas e jornalista nas horas pagas. Conhece 25 das 27 unidades federativas do Brasil. Morou em três países e já perdeu as contas de por quantos países passou. Ah, faz mala para qualquer destino em 30 minutos.
Siga a autora no Twitter